INFLUÊNCIA POSITIVA DO TREINAMENTO COM PESOS EM INDIVÍDUO DO SEXO FEMININO

  • David dos Santos Nascimento Especialista em Fisiologia e Prescrição do Exercício Físico, professor da Faculdade Centro Mato-grossense - FACEM
  • Jailson Alves Bomfim Pós-graduado em Educação Física Escolar, Coordenador do Curso de Educação Física da Faculdade do Centro Mato-grossense - FACEM

Resumo

Trabalhos recentes demonstram que indivíduos do sexo feminino que regularrmente praticam treinamentos com pesos podem melhorar consideravelmente a saúde e a autoestima, reduzir o risco de doenças degenerativas como a osteoporose e a hipertensão e melhorar no desempenho esportivo. O presente estudo teve como objetivo apontar as vantagens da hipertrofia em mulheres. A amostra aplicada ao estudo foi constituída por 5 voluntárias do gênero feminino, iniciantes no treinamento com pesos, residentes no município de Sorriso - MT. Foi realizada a avaliação inicial, a aplicação dos treinamentos e uma reavaliação. O treinamento teve como base os autores Uchida, Charro, Bacurau, Navarro, Pontes do livro Manual de Musculação, 6º Edição e a disponibilidade das participantes no estudo. Dentre os resultados encontrados no  estudo, destacam-se o (IMC) que apresentou uma variação de aproximadamente + 0,25 na médica do grupo; a variável de gordura absoluta em (gr), apresentou uma redução – 0,13 gr; em relação à variável de massa magra também expressa em (gr), obtivemos um aumento de aproximadamente  + 0,83 kg do grupo participante do estudo; com relação ao peso corporal total verificou-se aumento significativo de ± 0,70 gr. Concluímos que mesmo sem acompanhamento nutricional ou alimentação balanceada, as alunas obtiveram resultados relevantes no treinamento com pesos relacionados à hipertrofia, reduzindo a gordura corporal.

Publicado
Nov 21, 2016
##submission.howToCite##
NASCIMENTO, David dos Santos; BOMFIM, Jailson Alves. INFLUÊNCIA POSITIVA DO TREINAMENTO COM PESOS EM INDIVÍDUO DO SEXO FEMININO. Revista Científica-Cultural, [S.l.], v. 1, n. 01, p. 10, nov. 2016. ISSN 2526-0766. Disponível em: <http://cientifica.facem.com.br/index.php/revista/article/view/15>. Acesso em: 18 jan. 2018.