A AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL EXTERNA: MITOS E REALIDADES NA PERSPECTIVA DO NOVO INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE 2014

  • Ariel Diaz Loaces Mestre em Ciências da Educação, professor da Faculdade Centro Mato-grossense – FACEM
  • Jaqueline Schardosim Moreira MBA em Administração Acadêmica e Universitária, diretora da Faculdade Centro Mato-grossense – FACEM

Resumo

No presente artigo se faz uma análise da avaliação institucional externa do Ministério da Educação, assim como o temor e a preocupação que traz para os dirigentes de instituições de ensino superior. Percebe-se que esse medo é o resultado da falta de conhecimento e acompanhamento, razão pela qual as instituições precisam dar seguimento aos avanços dos instrumentos de avaliação externa e também de tentar compreender a subjetividade que é utilizada por cada comissão de avaliação recebida nas IES. O estudo foi conduzido tendo como método norteador a análises e sínteses, a partir de fontes secundárias de obtenção das informações. Como principal resultado, encontrou-se que o processo de avaliação externa não considera o ponto fundamental da proposta do SINAES (Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior), avaliando todas as instituições de uma única forma, não levando em consideração a diversidade institucional e a identidade da instituição. Desta forma, criou-se um vácuo em torno da comissão de avaliação externa, trazendo discussão sobre a figura dos avaliadores a fim de identificar se os mesmos vêm somar com a sua experiência ou se existem motivos para serem taxados como pessoas que trazem medo e estranheza.

Publicado
Nov 21, 2016
##submission.howToCite##
LOACES, Ariel Diaz; MOREIRA, Jaqueline Schardosim. A AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL EXTERNA: MITOS E REALIDADES NA PERSPECTIVA DO NOVO INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE 2014. Revista Científica-Cultural, [S.l.], v. 1, n. 01, p. 15, nov. 2016. ISSN 2526-0766. Disponível em: <http://cientifica.facem.com.br/index.php/revista/article/view/14>. Acesso em: 18 jan. 2018.